Blog sobre design, criatividade e comunicação :)

De repente tudo é design! Será mesmo?

Por 7 de agosto de 2018Design
Design está em tudo de repente
Post Anterior

A gente ouve falar tanto de design, hoje em dia, né? Parece que de repente todo mundo virou designer de alguma coisa. É hair designer, cake designer, nail designer, beard designer, coffee designer (ou latter art) e por aí vai. Mas será que tudo isso é design mesmo ou trata-se apenas da “gourmetização” das profissões?

Primeiramente, eu quero dizer que neste artigo eu não vou bater o martelo se isso é ou não uma apropriação indevida da palavra, nem tão pouco vou afirmar o que é ou o que não é design. Meu intuito é fomentar a discussão para que você mesmo tire sua própria conclusão (até rimou).

Design - Ba Dum Tsss

A gente vive numa época em que tudo em inglês é mais bonito, né?

Confesso que, particularmente, resisto firmemente a essa “modinha“. Mas a gente tem que estar inteirado para não ficar “boiando” nos bate-papos da vida por aí. Então vamos para um pequeno checklist com alguns termos americanizados, que você precisa conhecer para não ficar de fora dessa “tendência“.

  • Budget – verba do cliente
  • Deadline – prazo de entrega
  • Target – público alvo
  • Fee – mensalidade do cliente
  • Prospect – possível cliente
  • Lead – potencial contato
  • Newsletter – e-mail marketing

(agora vem os designers)

  • Nail Designer – manicure e pedicure
  • Hair Designer – cabeleireiro (a)
  • Beard Designer – barbeiro (a)
  • Cake Designer – confeiteiro (a)
  • Coffee Designer – barista
  • Eyebrow Designer – designer de sobrancelhas (essa a gente vê mais em português mesmo e eu nem lembro como se chamava antes do design)

A lista é apenas ilustrativa e, com certeza tem muita coisa que deixei de fora, mas é só para ilustrar como isso vem crescendo a cada dia e, cara, vamos concordar: designer é uma palavra em inglês muito top pra dar um up nas coisas, né?

Um dia desses vi num grupo que participo no facebook, de designers (tradicionais), reclamações e até xingamentos a respeito desse uso “errado” da palavra design. Que essa galera toda não é merecedora de carregar o título e bla bla bla… Por outro lado, imagino que um cake designer, provavelmente irá se sentir minimizado se o chamarmos de confeiteiro.

 

O que é design afinal?

É difícil achar uma verdade absoluta ou um consenso geral sobre essa pergunta mas, é comumente errado as pessoas associarem diretamente aos atributos visuais, como já foi falado aqui no blog em outro artigo. Isso não é assim tãaaao errado, até porque uma peça de design pode ser considerada, sim, uma obra de arte, todavia, a arte pode ser apenas uma expressão estética, enquanto o design só faz sentido se tiver a função de solucionar um problema ou uma necessidade.

O [dezaine] é um projeto de idealização, criação, desenvolvimento, configuração, concepção, elaboração e especificação de objetos, ambientes, peças gráficas, etc. Que ao mesmo tempo que são esteticamente agradáveis e atraentes, são funcionais e atendem a critérios pré-estabelecidos para satisfazer aos anseios e expectativas de um determinado público.

Confuso né?

Nós, os profissionais de design e comunicação, somos um pouco culpados por essa confusão na mente das pessoas, pois se alguém, totalmente leigo no assunto, passar um dia em uma agência, por exemplo, vai ouvir coisas do tipo: “Fulano, finaliza essa arte aí, porque preciso enviar para o cliente aprovar” ou “Precisamos ajustar a arte da embalagem antes de mandar para a gráfica” e por aí vai.

Tudo bem que são jargões e força de expressão, mas reforçam a ideia de que um designer faz arte.

Gosto de uma frase de Steve Jobs que diz: “Design é função, não forma”. Ela resume bem.

 

Quais profissões estão previstas com o prefixo ou sufixo design?

Seguindo friamente a simples definição de que design é um projeto pensado e executado para solucionar problemas de um determinado público, as profissões encontradas no mercado, são: design gráfico, design industrial, design de embalagem, design de moda, design de produtos, design de interação, design de interfaces, design de carros, design de interiores, design de games, web design e sound design.

Talvez eu tenha esquecido de um ou outro, mas não é o caso de hair design, nail design, design de sobrancelhas e afins 🙁 Não sou eu que estou dizendo. #sorry

 

Mas o que os resultados do Google nos diz?

Vamos ver o que acontece quando  jogamos algumas dessas profissões de designers no Google.

 

Google - Nail Designer

Google - Hair Designer

Google - Designer de Sobrancelhas

Google - Cake Designer

 

Então coleguinha, por mais que você discorde dessas nomenclaturas, o Google diz que elas existem e em abundância.

Vou citar duas frases pra você refletir aí:

“Não é o que você diz e sim o que o Google diz” (Autor desconhecido)
“Uma Mentira contada mil vezes, torna-se uma verdade.” (Joseph Goebbels)

Eu separei algumas imagens e vídeos e é inquestionável que os trabalhos que você verá neles, são de muito bom gosto, extremamente criativos e porque não dizer, artísticos (pelo menos eu acho), mas como foi dito ali em cima, arte e design são diferentes em alguns aspectos.

Cake Design

hair Design

 

 

 

 

PS: Eu não conheço todas as profissões e pode ser que tenha alguma foto equivocada aí em cima. Eu apenas pesquisei no Google eu fui pegando tudo que aparecia na busca.

E aí, isso é apropriação indevida da palavra design ou, com todo respeito, somos todos farinha do mesmo saco?

Deixe sua opinião nos comentários 🙂

Post Anterior
Gostou? Então nos ajude compartilhando :)

Fundador e colunista do Blog Design com Café e Cofundador da Azys Inovação. Publicitário com quase duas décadas de experiência em design gráfico, consultoria em marketing, comunicação e treinamentos. Experiência em branding, criação de produtos, UX e UI. Já empreendeu nas áreas de sites e sistemas, educação a distância e nutricosméticos.


E aí, o que achou? Deixe seu comentário.