Blog sobre design, criatividade e comunicação :)

E se você for multipotencial ao invés de especialista?

Por 4 de fevereiro de 2020Inspiração
multipotencial-blog-design-com-cafe
Próximo Post
Post Anterior

Ser multipotencial é um problema ou uma solução? Vamos saber um pouco mais sobre esse conceito que muitas pessoas nunca pararam pra pensar. Geralmente somos cobrados, por uma questão cultural, de sermos especialistas em algo ou em alguma área. Mas se as pessoas são tão diferentes como cobrar que elas tenham padrões e escolhas iguais?

Outro dia me deparei com um vídeo do Ted Talks de uma pessoa multipotencial, que não só me chamou muito a atenção, como me trouxe uma sensação de alívio e conforto – a mesma de ganhar um presente que você não espera! 

Então decidi trazer aqui para o blog esse tema, já que outras pessoas também podem se identificar. Estou aqui para compartilhar com vocês sobre os multipotenciais. Vamos às questões iniciais pra gente pensar juntos:

– Alguém perguntou para você na infância o que seria quando crescesse? Qual idade você tinha?

– A sua resposta coincide com o que você faz hoje?

– Será que todas as pessoas têm um senso de missão despertado nos primeiros anos de vida? E se esse não for o seu caso?

– Então quem não tem uma habilidade ou revelação imediata, não tem um propósito na vida?

– E se você tiver curiosidade por várias coisas diferentes e queira experimentá-las sempre?

Uma pessoa multipotencial é aquela que tem muitos interesses e possibilidades criativas, que quer sempre experimentar o novo, que se desinteressa por algo que já cumpriu o desafio, que gosta de várias coisas diferentes e nunca se vê fazendo a mesma coisa a vida inteira, é inquieto e curioso por natureza.

Por experiência própria

A definição de multipotencial foi um livramento para mim (rs) que já fez teatro, pintura, dança contemporânea, ballet, jazz, piano, violão, canto, bordado, tricô, crochê, natação, fotografia, escalada, rapel, caminhada, corrida, meditação e tantas outras coisas. 

Minha mãe sempre me perguntava: “Você não vai parar em nada? Você precisa escolher alguma coisa e se dedicar”. Nessa hora a sensação é de culpa e de que você está fazendo tudo errado..rs

Já trabalhei com projetos culturais, sociais e esportivos e em indústrias nos setores de marketing, comunicação, vendas, criação, produtos e eventos (e cada uma delas é um universo inteiro). Tive uma agência de comunicação e fotografia com a minha amiga Sylvia Pagotto. Fui professora na faculdade onde estudei. Formei-me em Jornalismo, mas quase não atuei em mídias tradicionais.

Hoje atuo em áreas até então inexplorada por mim: tecnologia e inovação. Na Azys, que é uma aceleradora de startups, a gente orienta e conecta empreendedores, empresas e investidores e, ajudando a desenvolver um ecossistema de inovação que seja sustentável. Um mundão incrível!

Estou me reinventando a cada dia e aprendendo muito até em áreas que jamais imaginava me dedicar como gestão de pessoas, financeiro e contábil. É como se o novo desafio ganhasse um senso de missão que você quer mergulhar e entregar! 

Os próprios projetos dos empreendedores que estão na Azys nos conectam com muitos universos bem diferentes. Recentemente fiz um curso de elétrica e hidráulica residencial para mulheres pela startup @elasresolvem. E já me inscrevi para o curso de pintura residencial que elas vão fazer em parceria com a @leroymerlinvitoria.

multipotencial-elas-resolvem
Curso de Elétrica e Hidráulica do Elas Resolvem

Aprendo sobre economia criativa com a startup @espiritocriativo, sobre orgânicos com a @raizcapixaba, sobre monitoramento da saúde dos trabalhadores com a @dersalis, sobre aprendizado por experiências com a @globaltouch, gestão e combustível com a @gekom, sobre gestão contábil e financeira com a @bauner e muito mais coisas com tantas pessoas incríveis que convivem conosco.

É nessa hora que a gente percebe que vai se descobrindo é pelo caminho. Afinal, como se enquadrar em algo antes de sair do lugar?

Pela experiência da Emilie Wapnick

O vídeo que assisti no Ted Talks é da Emilie Wapnick que se descobriu multipotencial e agora defende a causa como a sua principal bandeira. A sensação de dispersão se transformou em foco e hoje ela ajuda muitas pessoas com as mesmas características. 

Ela evita os rótulos, mas se define como uma combinação de artista, empreendedora, escritora, palestrante e coach. Ela publicou o livro “How to Be Everything: A Guide for Those Who (Still) Don’t Know What They Want to Be When They Grow Up (Como ser tudo: um guia para quem (ainda) não sabe o que quer ser quando crescer), que não está disponível em português. Pela Amazon é possível comprá-lo. 

multipotencial-how-to-be
Livro da Emilie lançado em 2017

O trabalho da Emilie é conectar os multipotenciais mundo afora, utilizando recursos que integrem essas pessoas e seus tantos interesses. Para isso ela criou o site e mídias sociais “Puttylike” e a comunidade Puttytribe com conteúdo, ações e eventos sobre o tema. 

multipotencial-puttylike
Site puttylike.com

Por aqui já existe esse movimento também liderado pelos Multipotenciais do Brasil. No site tem muito conteúdo bacana e até uma entrevista com a Emilie, que foi quem os inspirou.

Ah, quem quiser, conhecer a Emilie e suas principais ideias, basta assistir o vídeo abaixo. O Ted tem 10 minutos.

Três pontos fortes 

A Emilie definiu três pontos fortes dos multipotenciais que valem a pena a gente conhecer, mesmo sendo um especialista:

  1. Síntese de ideias: combinar duas ou mais áreas e criar algo novo com essa junção. Esse caldeirão eclético se chama inovação! Bem sabemos que a tendência para os próximos anos  é um mercado muito menos tradicional com pessoas que estão se redescobrindo em muitas misturas.

“A inovação acontece nas interseções”. Emilie

multipotencial-innovation
Imagem da apresentação da Emilie (Ted Talks)
  1. Aprendizado rápido: os multipotenciais estão acostumados a ser sempre iniciantes e com isso tem menos medo de tentar o novo e traz para cada experiência, os aprendizados anteriores.
  1. Adaptabilidade:  são capazes de assumir várias tarefas ao mesmo tempo, que também é uma habilidade a ser desenvolvida no século XXI. As pessoas e organizações com capacidade de mudar terão mais chances de prosperar daqui pra frente.

Um ponto bem interessante também é quando a Emilie fala o quanto os especialistas e os multipotenciais se completam, já que ambos são fundamentais no desenvolvimento de ideias e projetos. 

Cada um à sua maneira, ou seja, os especialistas são mais focados, lidam bem com análises, são detalhistas e têm uma visão mais verticalizada. Os multipotenciais são mais curiosos, tem muita vontade de aprender e possuem visão mais horizontalizada sobre as coisas. 

Leitor, espero que você tenha gostado do tema deste artigo e que ele tenha ajudado você a se conhecer um pouco mais. E se tiver uma história bacana para compartilhar, conta pra gente. Trocar também é uma das características que os multipotenciais adoram! 😉

Próximo Post
Post Anterior
Gostou? Então nos ajude compartilhando :)

Jornalista, mineira, atua na área de gestão de marketing, comunicação e projetos há quinze anos, com experiências nas áreas pública, privada e terceiro setor. É cofundadora da Azys Inovação, que orienta empreendedores e as empresas a viverem o empreendedorismo inovador na prática. Cria e produz eventos culturais na área de música erudita, teatro e publicações por pura paixão à arte.


E aí, o que achou? Deixe seu comentário.