Blog sobre design, criatividade e comunicação :)

Portfólio. Por que eu preciso de um e como faço para criar?

Por 1 de novembro de 2018Dicas e Tutoriais
Portfólio - Design com café
Próximo Post
Post Anterior

Se você é um profissional de criação, ter um portfólio não é opcional. É essencial! É a vitrine do seu trabalho e muitas vezes vai ser o primeiro ponto de contato entre você e seu futuro cliente ou empregador. Neste artigo darei dicas de como criar um bom portfólio e quais ferramentas podem te ajudar nessa tarefa.

O que é um portfólio

Levando ao pé da letra, de forma genérica, portfólio é um papel dobrado ou pasta com documentos, mas a palavra pode ter vários significados, dependendo do contexto. Por exemplo:

  • No mercado financeiro, pode ser a carteira de investimentos feitos por um indivíduo ou instituição;
  • No mercado de petróleo, pode ser os projetos da empresa, nesse caso, chamado de portfólio exploratório;
  • No mercado de imóveis existe o portfólio de bens;
  • Na educação, o portfólio escolar é um documento ou sistema que registra todo o desenvolvimento do aluno;
  • e por aí vai…

Mas como você está em um blog sobre criatividade, portfólio é uma compilação ou coleção dos seus trabalhos, ou seja, um documento, apresentação ou página na web que possa reunir seus projetos realizados.

E eles podem ser apresentado através de imagens ou fotografias, vídeos, áudios, recortes de jornais e revistas, peças gráficas ou qualquer outro tipo de registro.

Algumas pessoas se confundem ao escrever a palavra, na dúvida se é PORTFOLIO ou PORTIFÓLIO ou PORTFÓLIO. Aqui vai uma explicação breve:

  • Portfolio é a versão original da palavra em inglês;
  • Portifólio é uma tradução da palavra correta apenas em Portugal;
  • Portfólio é a versão aportuguesada mais usada aqui no Brasil e que consta nos dicionários.

Porque você precisa ter um portfólio

Se você é um designer, ilustrador, videomaker, fotógrafo, arquiteto, locutor, jornalista ou qualquer outro profissional criativo, você precisa ter um portfólio. Ele vai agregar valor a sua imagem e é o maior e mais importante item do seu marketing pessoal.

Claro que é importante você ter títulos, graduações e uma boa carreira profissional, porém em muitos casos, um bom currículo não é suficiente para convencer e vender o seu trabalho.  É como se seu o seu currículo fosse a descrição da sua capacidade profissional e o seu portfólio fosse a ilustração e tangibilização disso tudo.

Há mais ou menos 18 anos, quando fui concorrer a umas de minhas primeiras vagas de designer no mercado e ainda sem um portfólio pra mostrar, eu lembro que o entrevistador fez meia dúzia de comentários sobre meu currículo e falou: “se você diz que sabe fazer, senta aqui e faz pra eu ver.”

Na época ele abriu um projeto no finado flash abarrotado de layers sem nome e me deu um problema pra resolver. Eu me saí bem, mas talvez, se eu tivesse um portfólio eu não precisaria ter me virado nos 30 e ao vivo para convencê-lo da minha capacidade.

O currículo conta a história que você matou a cobra, enquanto o portfólio mostra a coitada morta e o porrete que você usou 🙂

Um outro bom exemplo de que um portfólio convence, de verdade, é que certa vez eu estava procurando um construtor para fazer a fachada do prédio onde moro. Lembro que o cara veio, olhou o meu prédio, fez uns rabiscos no papel e no outro dia ele me trouxe uma renderização em 3d da fachada.

Eu nem suspeitava que ele tinha essas qualidades, mas agora imagina se ele tivesse me falado algo como: “acessa meu portfólio que você vai conhecer um pouco do meu trabalho”. Ele não precisaria ter gastado tempo pra me impressionar.

Mas cuidado, o que não falta para você adiar essa tarefa são desculpas, afinal, o pior cliente de qualquer pessoa criativa é ela mesma. Ainda mais se estivermos falando de um profissional perfeccionista.

Nesse caso lembre-se da dica “antes feito, que perfeito”. Desencane, depois você poderá mudar e talvez nunca estará 100% satisfeito. Faz parte.

5 dicas para você criar um bom portfólio

Antes de mais nada, você precisa ter ciência que criar um portfólio atraente e vendedor não é uma tarefa simples e vai exigir uma boa dedicação da sua parte.

Dica 1 –  Selecione seus melhores trabalhos (eu disse apenas os melhores). O que vai impressionar não é a quantidade de projetos que você foi capaz de executar e sim a qualidade que eles possuem. Sendo assim, não tenha dó de descartar aqueles jobs que não vão agregar valor a sua coleção.

Se você está iniciando e precisa ampliar seu portfólio, você pode criar projetos fictícios de estudo,  ou recorrer às comunidades de designers.

Dica 2 – Crie mockups, sempre que possível. Se seu trabalho é visual, não economize na criatividade para valorizar as aplicações. Existem dezenas de sites para você baixar simulações realistas de aplicações de logotipos, flyers, folders, websites, apps, etc.

Dica 3 – Separe tudo em categorias, mesmo que você não tenha um volume grande de projetos. Isso vai transmitir organização e vai ajudar a quem está vendo, a encontrar o que procura. Muitas vezes um potencial cliente que está no seu portfólio já sabe do que precisa e vai querer ver trabalhos específicos.

Exemplos de categorias: logotipos, impressos, websites, apps, vídeos, spots, etc.

Dica 4 – Deixe à vista seus contatos. Se o cara gostou do seu trabalho, ele tem que achar de forma rápida todos os seus contatos ou um formulário. Muitas vezes o cliente ou empregador vai querer conhecer seu perfil nas redes sociais, isso precisa estar a vista também.

Dica 5 – Imprima sua identidade no seu portfólio. O ideal é que você tenha um logotipo e cores institucionais bem definidas para compor o design. Claro que dependendo da plataforma que você escolher, não será possível customizar tudo isso, mas pelo menos um logotipo na assinatura de cada projeto é essencial.

5 ferramentas para você criar seu portfólio?

Existem muitas ferramentas e serviços online que estão aí para te ajudar a criar um bom portfólio. Separei aqui as 5 melhores, na minha opinião.

1- Behance

Portfólio - Behance

Se você me perguntar qual é a melhor ferramenta para divulgar seu portfólio, eu vou te responder que é o Behance, sem medo de errar. Será dela que vou falar mais um pouco, até porque já uso há anos.

É uma ferramenta gratuita e muito simples de usar. Em poucos minutos você já poderá começar a exibir seus projetos para o mundo todo. Além de poder criar uma rede de relacionamento com grandes agências e profissionais de criação, seguindo, sendo seguido, curtindo, comentando e salvando os jobs inspiradores em pastas/categorias.

O Behance pertence a Adobe e é integrado a ferramenta Adobe portfólio, que possibilita ao usuários com conta ativa, criar um site com temas profissionais e customizáveis, configurado em um domínio próprio, em poucos minutos. É totalmente sincronizado com os projeto publicados no Behance.

Outra integração que existe é com o serviço Adobe Talent, voltado para empresas buscarem profissionais e publicarem vagas de trabalho. Segundo a própria Adobe, as maiores marcas do mundo usam o Behance para encontrar e recrutar os talentos criativos.

Behance.com

2 – Dribbble

Portfólio - Dribbble

Similar ao Behance, o Dribbble também é gratuito, funciona como rede social de criativos e da mesma forma você poderá pesquisar por vagas ou jobs.

A quem diga que é bem mais fácil de publicar um projeto no Dribbble que no Behance, mas em contrapartida você tem mais dificuldade descrever os detalhes. É mais uma galeria de imagens com títulos e uma descrição única para a publicação.

Por serem as duas principais ferramentas que os criativos usam para publicar seus projetos, existem muitos artigos comparando elas e aqui vai um que gosto muito.

Dribbble.com

3 – Carbonmade

Portfólio - Carbonmade

Eu diria que é o mais tradicional. Lembro de ter conhecido o Carbonmade muito antes do Behance ou do Dribble.

É muito intuitivo, leve e prático de usar. Você vai escolher um tema pronto que gostar e começar a publicar seus projetos.

A grande desvantagem é que na versão gratuita você só consegue publicar imagens. Para publicar vídeos e áudios será necessário assinar um plano a partir de 6 dólares mensais. Ah! Essa assinatura vai liberar mais temas pra você escolher.

Carbonmade.com

4 – Coroflot

Portfólio - Coroflot

Outra plataforma gratuita e simples para criar seu portfólio, com as funcionalidades de rede social mencionadas acima e uma boa rede de grandes empresas que procuram profissionais criativos.

A vantagem interessante aqui é que você pode saber quem visitou seu perfil. O Coroflot é bem focado na publicação de oportunidade para os freelancers cadastrados na plataforma.

Coroflot.com

5 – Wix

Portfólio - Wix

Acho que todo mundo já ouviu falar nessa ferramenta. Trata-se de um simplificado construtor de sites, onde você vai poder escolher entre dezenas de temas, totalmente customizáveis.

A plataforma ganhou a fama por criar um sistema extremamente simples de usar, onde qualquer pessoa, com ou sem conhecimento, poderá criar um site clicando e arrastando os elementos. A mesma facilidade é para editar os conteúdos e fazer uploads de imagens e vídeos, por exemplo.

É gratuito, mas você pode optar por planos pagos a partir de R$ 9,50 p/mês para ficar livre dos anúncios, poder configurar o seu domínio, dentre outras vantagens.

Por um tempo a ferramenta sofreu com a dificuldade de indexação nos mecanismos de busca, mas isso parece coisa do passado. No blog oficial eles dão dicas de como melhorar o rankeamento SEO do seu site.

Wix.com

Agora se você for um profissional capacitado para criar sites ou com disposição para estudar linguagens como html, css, javascript e php e quiser mais liberdade, eu sugiro o WordPress 🙂

Deixe o link do seu portfólio aqui nos comentários 🙂
Aqui vai o meu www.behance.net/jaidermorais


Próximo Post
Post Anterior
Gostou? Então nos ajude compartilhando :)

Fundador e colunista do Blog Design com Café e Cofundador da Azys Inovação. Publicitário com quase duas décadas de experiência em design gráfico, consultoria em marketing, comunicação e treinamentos. Experiência em branding, criação de produtos, UX e UI. Já empreendeu nas áreas de sites e sistemas, educação a distância e nutricosméticos.


E aí, o que achou? Deixe seu comentário.