Blog sobre design, criatividade e comunicação :)

Porque o Storytelling é importante para o crescimento do seu brand?

Por 9 de outubro de 2019Cultura e Curiosidades
storytelling
Próximo Post
Post Anterior

Entenda como o Storytelling da sua marca afeta diretamente seu crescimento e captação de novos clientes!

Talvez uma das frases clichês mais conhecidas seja a famosa ‘era uma vez’, e com razão: a partir dela, imediatamente o espectador já se prepara para uma boa história, ou uma história com pretensão de ser. Vamos falar de Storytelling.

A capacidade de trocar informações racionalmente mudou por completo a vida do ser humano, possibilitando o surgimento de todas as civilizações: em outras palavras, o storytelling é mais antigo que a própria origem das civilizações

Foi ele, inclusive, um dos fatores que possibilitou seu surgimento e cada vez maior complexidade. 

storytelling - pinturas rupestres
Pinturas rupestres 

Isso porque a comunicação, desde os primeiros rabiscos nas cavernas e dos primeiros sons ordenados, transforma a vida desta nossa espécie.

E se a comunicação mudou tanto assim a vida do ser humano, imagine você o que fez a prensa de Gutenberg, que popularizou o saber, antes restrito ao clero e aos nobres, reproduzindo-o e o tornando acessível ao povo!

Embora o conceito básico da prensa de tipo móvel já existisse – uma máquina parecida existia na China na era da Dinastia Song, por exemplo, – foi somente após a prensa de Gutenberg que surgiu o que podemos chamar de imprensa.

Afinal, o conhecimento é poderoso. Uma vez que ele se torna acessível não é possível tomá-lo de volta: porque o saber liberta.

storytelling - gutemberg
Prensa de tipos móveis de 1811, em exposição em Munique, Alemanha (fonte: Wikipedia)

Compartilhando o conhecimento

A partir do compartilhamento do conhecimento – e, sim, poderíamos aqui estar falando, por exemplo, do Bootstrap Design ou de outros códigos abertos que representam muito bem a ideia de compartilhamento de informações mas não apenas deles – por meio da world wide web, o ser humano passou a dominar melhor a complexidade que uma boa contação de histórias pode tomar.

Na era posterior à imagética, a chamada hipermidiática, ou também conhecida como hoje em dia, das trocas peer to peer às redes sociais, o cidadão é bombardeado o tempo todo por informações e estímulos.  

storytelling - informacoes
Exemplo de trocas peer to peer. Fonte: A Peer-to-Peer Network Framework Utilising the Public Mobile Telephone Network

O que significa que o consumidor passa a não ser apenas um receptor mas também um emissor de mensagens, através do qual as marcas podem medir e avaliar seu crescimento, fazer seu planejamento e, com isso, produzir uma publicidade muito mais direcionada. 

Nesta era, a informação é a nova moeda corrente.

Não à toa, deparamo-nos com a acelerada ascensão das fakes news; da produção de conteúdo mas também da produção de desinformação.

Confie no poder de um bom Storytelling

Contudo, nosso cérebro faz tantas conexões tão rapidamente que, mesmo neste cenário caótico, sempre tem espaço para armazenar mais uma boa história

Inclusive, a história é uma das três melhores conexões que seu cérebro pode fazer para lembrar de algo! As outras duas são a emoção sentida no momento de apreensão e o lugar. 

E é justamente por essa familiaridade que nosso cérebro tem com estruturas narrativas que uma boa história geralmente fica na nossa memória. 

Podemos não pensar nela a todo momento, mas quando quisermos comprar um bom chinelo de dedo vamos lembrar das Havaianas, por exemplo. 

E é nisto que as marcas tem apostado para driblar este excesso de informações!

Em suma, a história hoje tem mais valor que o modelo “starsystem” – que surgiu em Hollywood nos anos dourados e prevaleceu por décadas a fio – porque divide as marcas entre conhecidas/confiáveis e… praticamente não existentes.

A estrela entra para se engajar com o público diretamente e atestar, com a confiabilidade de seu próprio brand, a veracidade do storytelling da marca.

Assim sendo, as marcas mais engajadas já perceberam o que a Coca e o McDonalds pescaram lá atrás: o público, em geral, não compra só um produto, mas uma ideia. Uma referência, uma certeza, ou minimamente uma boa expectativa.

E isso vem lá dos primórdios da comunicação: o famoso boca a boca só assume outros nomes, passa pelos processos de mass media e se ressignifica, sendo adotado pela publicidade, que também se ressignifica.

storytelling - friboi

O Tony Ramos, figura que, em si própria, já é uma história, uma boa referência, podia até falar bem da Friboi como seu garoto propaganda, mas esta parceria só se manteve enquanto a imagem vendida por Ramos era condizente com a carne que se vendia nos supermercados.

Sem especulações sobre o assunto, quando começaram a surgir denúncias de carne estragada, por exemplo, o ator global rompeu seu contrato com a Friboi.

storytelling - tony

Um exemplo claro da importância que a confiabilidade dos brands possui.

O storytelling e os famosos

Sua empresa pode contratar a Shakira para falar bem de sua marca, mas se o que ela disser não for condizente com a realidade dos produtos, cedo ou tarde a internet saberá.

Contratar pessoas famosas para falar bem de suas marcas ainda parece a lógica do starsystem mas a relação consumidor-famoso-público alvo se remodelou por completo quando o comprador deixou de ser apenas aquela figura passiva diante da propaganda tradicional disruptiva.

A exclusividade de acesso e domínio da informação saiu de dentro das empresas e foi para a internet, de modo que hoje em dia até mesmo as políticas internas para com os funcionários, por exemplo, tem sido massivamente afetadas por estes impactos e tem prezado cada vez mais pela valorização do indivíduo e sua satisfação enquanto trabalhador.

Assim, o bom storytelling é fundamental para mostrar ao seu público alvo, através da arte de um bom roteiro, o que realmente o seu brand tem de especial.

Nem todo storytelling é uma narrativa tradicional, mas seus elementos básicos de encadeamento de ideias são fundamentais para ajudar a contar uma história de forma bem contada.

Estes encadeamentos básicos nós sabemos quais são, certo? O espaço, o personagem, os acontecimentos e o desfecho, apresentados sob diversos aspectos por autores diversos.

Podemos ainda invocar os tradicionais começo, meio e fim, ou o conhecido lide (ou lead, em inglês) jornalístico,  sobre o qual também aprendemos no ensino fundamental, que é outro bom ponto de partida para se buscar uma boa história: quem, o que, onde, como, quando e porque.

Uma boa história pode ser seu melhor artifício para capturar mais clientes!

Lead é também o que você, enquanto marca, quer capturar na Era Digital e converter nestes novos clientes.

Coincidências?

O que o lead tem a ver com a técnica de storytelling?

Tudo: quanto melhor sua história, mais leads você vai atrair..

A tecnica do storytelling pertence ao universo do marketing digital, que engloba diversas estratégias e ferramentas para atrair o alvo, seja ele um curioso aleatório que navega pelo Google, um comprador, um visitante de site, um assinante de Newsletter

Deste modo, ao se pensar em um storytelling o primeiro passo é considerar qual, realmente, são os objetivos da marca e quais são seus públicos de interesse.

Quando é definido o objetivo e o contexto, técnicas de roteiro são aplicadas para se criar, de fato, uma história e uma imagem que signifique, de pronto, o valor e a importância daquela marca.

storytelling - funil business

O formato aos quais se aplicará a contação desta história é definido pelas estratégias de marketing e publicidade, que norteiam, como o desenho de produção de um filme, as ações que serão adotadas para a produção daquele storytelling.

Todo este processo é feito com foco nos leads que sua marca deseja conquistar, que são aqueles integrantes do seu público alvo que, de alguma forma, demonstram interesse em seu produto ou serviço – em geral representado por um endereço de e-mail, um contato, uma compra que não se concretizou…

E como o storytelling afeta a imagem das marcas?

Visualmente? Você precisa de um bom webdesigner: afinal, a história leva um tempo maior que as imagens para ser processada e o aspecto visual imprime dados importantes para ideia que seu brand deve passar.

As cores, as formas e os slogans tem importância tamanha, em especial na era da imagem pós fotográfica, também conhecida como hoje em dia ou, ainda mais cabível, era da computação gráfica.

storytelling - web design

Lembre-se: as pessoas ainda julgam livros pela capa, então em vez de não tentar vender seu livro para elas, faça uma capa que chame sua atenção ao máximo e as atraia para seu produto.

O storytelling afeta diretamente a imagem das marcas e pode promover seu crescimento e estabilidade, tanto por meio da captura de leads quanto por meio do crescimento na autoridade de sua marca, por meio do advocate marketing, do inbound marketing e por aí vai…

As principais vantagens de um bom storytelling são:

Estabelecimento da marca no mercado

As pessoas podem não querer comprar o seu produto no momento, mas, em geral, elas se lembram de uma boa história e quando precisarem do que você vende vão lembrar da sua.

Aumento da confiança dos consumidores na marca

Por acaso você tem mais liberdade, interesse e confiança em se relacionar com quem você conhece ou com estranhos?

Resposicionamento de mercado

As reviravoltas são fundamentais para boas histórias. Se sua marca ainda não está no posicionamento de mercado que você gostaria, crie uma reviravolta no seu roteiro e lance-a contando sua boa história!

Por onde começar o storytelling de uma marca?

A linearidade é uma mania ocidental que vem sendo cada vez mais desconstruída pelos novos modos de consumo.  

A imagem numérica – nome pré anos 80 para computação gráfica – provocou grandes transformações em todas as áreas, da pesquisa ao design arquitetônico, à agricultura, à produção industrial; na produção de vinhetas, no cinema, na TV, nos games, no vídeo e também na publicidade…

E dentre estas transformações surgiram os inúmeros formatos que hoje possibilitam que qualquer história seja contada de maneiras as mais diversas.

Portanto, implementar boas estratégias de storytelling em uma brand pede auxílio de um profissional que conheça este universo e suas possibilidades, mas, para começar, uma simples estratégia teatral basta: qual o subtexto do seu personagem?

Em outras palavras, qual a história por trás da história da sua marca?

Próximo Post
Post Anterior
Gostou? Então nos ajude compartilhando :)

Fui uma criança escritora e através das palavras encontrei minha liberdade. Cineasta e atriz, formada em comunicação social com especialização em Direção, pesquiso o audiovisual e as novas mídias, o que me levou ao MBA em Marketing Digital e às suas múltiplas facetas neste universo de algoritmos e imagens numéricas.


E aí, o que achou? Deixe seu comentário.